DEMOKRISIS

A CRISE DA DEMOCRACIA

Sunday, December 11, 2005

UM CRISTO LAICO

Tanto ouvi falar e tanto li sobre os crucifixos nas escolas que não resisti em meter a colherada em tão acesa quanto insonsa polémica.

Aqui vai, pois, esta pitada de pimenta para temperar a caldeirada.
Cristo era laico, e também ele se opôs aos vendilhões do templo, aos sacerdotes, aos respeitadores do sábado, aos sepulcros caiados, aos publicanos, aos ricos, aos dominadores, aos que pretendem impor a sua vontade, os seus ideais, a sua religião, os seus pontos de vista, aos demais.


Por estas e por outras parecidas a estas é que ele foi crucificado.
Tenho a plena convicção de que se ele vivesse nos dias de hoje e pensasse e agisse como pensou e agiu quando por cá andou, se opunha à exibição de crucifixos por tudo quanto é sítio. Para mais nas escolas, à frente de inocentes criancinhas a quem o sangue, a simples lembrança de sangue, costuma arrepiar.


Se para bom entendedor meia palavra basta, eu mais não acrescentarei, por desnecessário, para que seja retirado das paredes e dos muros, seja donde for, tão sangrento ícone. E tudo em nome de Jesus que tanto fez, ensinou e sofreu a pensar no bem da humanidade.

6 Comments:

  • At 8:52 AM , Blogger Dad said...

    Quando apanham alguem como Ele, crucificam-no na praça pública....seja em que tempo for...ele foi um revolucionário e o destino dos revolucionários é sempre parecido...

     
  • At 1:11 AM , Anonymous Osvaldo said...

    Olá Moa, já tinha um tempão que eu não aparecia por aqui e hoje com tempo resolvi visitar os blogs dos amigos. Também encontrei a definição para o tema que a Dad tem.
    Ambas as definições eu concordo embora em opinião eu discorde numa e me entristessa outra e passo a explicar:
    I- Dad, é verdade que grandes homens (poucos)a quem tu intitulas revolucionários tiveram esse destino apenas porque lutavam pelo bem da humanidade. Serão sempre lembrados como Mártires.
    II- Também é verdade que Revolucionários idolatradas tiveram o mesmo destino apenas e porque antes de lá chegarem dizimaram parte dessa humanidade (idosos, mulheres e crianças incluidas) e serão sempre lembrados e idolatrados por muitos como Herois Revolucionários.
    III- Moa, quanto aos crucifixos, acho que eles não só deveriam ser retirados das escolas como nunca deveriam ter sido lá colocados porque a catequese deve ser dada na igreja começando esta em casa.
    IV- Mas o que mais me revolta no tema é que tudo começou por certos politicos necessitados de publicidade a escândalo gratuita e que logo a seguir a esta denúncia visitavam escolas Mussulmanas de Lisboa e de lá saíam com os maiores elogios porque estas escolas ensinavam obrigatoriamente o Coram e eram um modelo de moral e civismo e que este exemplo deveria ser seguido por todas as escolas do país com o Coram em cada sala de aula.
    V- Com tudo isto, não se admirem se os nossos filhos e netos um dia não terão a obrigatoriedade de quatro a cinco vezes se porem de quatro em pleno Terreiro do Paço virados para a Meca.
    VI- Continuamos um povo como sempre fomos, tudo o que vem de fora é que é bom. Antes só era bom o que vinha da América, depois passou a ser bom o que só vinha da Rússia e de Cuba e agora só é bom o que vem das Arábias. Será que um dia seremos nós os melhores ?!...
    Um abraço à Dad e ao Moa.

     
  • At 4:11 AM , Blogger Andre Moa said...

    Caro Osvaldo, tens razão e toda a minha concordância. É evidente que as circunstâncias nos ditam a consciência, mas nunca devemos defender seja o que for por oportunismo e com hipocrisia, mas por uma profunda e arreigada e fundamentada convicção. Eu(e tu)aprendemos numa escola em que sempre esteve um crucifixo, para mais ladeado pelo mau ladrão (Salazar) e o bom ladrão (o presidente da república, ao tempo o Carmona e depois o Craveiro Lopes).
    Nem por isso deixei de ser antisalazarista convicto e de me ter transformado num convicto ateu, antifanático e apóstolo da tolerância.Mas que não são imagens recomendáveis para as litlles criancinhas, acho que não são. E o ponto central é este: nas escolas públicas (e só nestas,claro)num Estado de Direito que se proclama laico e com a obrigação legal de tratar por igual todas as ideologias e religiões, é uma questão de princípio não permitir a exibição de símbolos ou ícones de qualquer religião. O mesmo princípio me leva a não aceitar a exibição de cartazes, propaganda política, partidária, eleitoral em qualquer edifício público.
    Viva a democracia (mas o mal é que este é um conceito quase divinizado, transformado num quase mito, cada vez com mais definições, o que equivale a não estar bem definido e não há nada pior para confundir as mentes que conceitos indefinidos ou mal definidos! Viva a tolerância! Viva a lucidez! Viva a amizade! Um abraço.

     
  • At 4:11 AM , Blogger Andre Moa said...

    Caro Osvaldo, tens razão e toda a minha concordância. É evidente que as circunstâncias nos ditam a consciência, mas nunca devemos defender seja o que for por oportunismo e com hipocrisia, mas por uma profunda e arreigada e fundamentada convicção. Eu(e tu)aprendemos numa escola em que sempre esteve um crucifixo, para mais ladeado pelo mau ladrão (Salazar) e o bom ladrão (o presidente da república, ao tempo o Carmona e depois o Craveiro Lopes).
    Nem por isso deixei de ser antisalazarista convicto e de me ter transformado num convicto ateu, antifanático e apóstolo da tolerância.Mas que não são imagens recomendáveis para as litlles criancinhas, acho que não são. E o ponto central é este: nas escolas públicas (e só nestas,claro)num Estado de Direito que se proclama laico e com a obrigação legal de tratar por igual todas as ideologias e religiões, é uma questão de princípio não permitir a exibição de símbolos ou ícones de qualquer religião. O mesmo princípio me leva a não aceitar a exibição de cartazes, propaganda política, partidária, eleitoral em qualquer edifício público.
    Viva a democracia (mas o mal é que este é um conceito quase divinizado, transformado num quase mito, cada vez com mais definições, o que equivale a não estar bem definido e não há nada pior para confundir as mentes que conceitos indefinidos ou mal definidos! Viva a tolerância! Viva a lucidez! Viva a amizade! Um abraço.

     
  • At 1:48 AM , Anonymous Anonymous said...

    Very nice site! » » »

     
  • At 4:24 AM , Anonymous Anonymous said...

    Wonderful and informative web site. I used information from that site its great. clarion hotels How to cheat in black jack Minivan camper

     

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home

Norberto MacedoLembranças de Outono

Powered by Blogger

Subscribe to
Posts [Atom]